Rapsódia: Anjos e Demônios

29/01/2009

As Leis de Hierarquias

Filed under: Sorínia — Tags:, , — Alexandre Fnord @ 09:12

Esse sempre foi um tema polêmico em Sorínia, mas as Leis ajudam a manter o controle das situações políticas em ambos os reinos, Prymol e Zephir.
Quase a causadora de guerras, essa lei fez com que vários nobres perdessem muito, assim como deu poderes a outros que se aproveitaram de várias situações.
O exemplo mais prático atualmente é a expectativa sobre a Duquesa Lilly de Chaniz.
Uma observação a ser feita é que o “ano” é chamado de “ciclo”, em referencia ao ciclo da Roda da Vida.
Vejamos como as leis funcionam.

Anúncios

28/01/2009

Hierarquia de Sorínia

Filed under: Sorínia — Tags:, , , , , — Alexandre Fnord @ 13:36

Hierarquia é um poder de caráter social, que define o poder sobre as vidas, os recursos e os destinos de outras pessoas conferidas por uma posição na sociedade ou em uma de suas organizações. Um membro de uma Hierarquia sempre tem acesso a seu superior imediato e aos colegas de mesma Hierarquia na organização e é normalmente obedecido por seus subordinados diretos e indiretos. Também é respeitado pelos não-subordinados de hierarquia inferior na mesma organização (embora geralmente não possa dar-lhes ordens, a não ser persuadindo seus superiores).

Veja mais sobre a Hierarquia aqui.

A Morada dos Anões

Filed under: Eminarod — Mestre Emilson @ 04:13

Os Anões se encontram no continente há muito tempo, sendo uma das primeiras Grandes Raças (é assim que os Anões, os Elfos e os Githzerais são conhecidos no continente). Depois de décadas de luta, sofrimento e esperança, os Senhores da Terra (Os Anões anciões), chegaram a seguinte organização política: se dividiram em grandes reinos.

  • SENTURION;
  • SLAPHIR;
  • VADARLOCK;
  • DRACO;
  • FARUZA.

Para mais informações sobre os reinos dos anões, acessem o fórum rapsódia, através do link abaixo:

http://rapsodia.forumr.net/eminarod-f5/a-morada-dos-anoes-t27.htm

As regiões de Eminarod

Filed under: Eminarod — Tags:, , , — Mestre Emilson @ 04:07

Essas regiões se encontram bem divididas, devido aos conflitos e as condições geográficas. Todas as regiões são igualmente importantes, apesar de alguns de seus habitantes não se darem muito. Depois de anos, Eminarod encontra em seus habitantes a sua maior força, dando-lhes quase tudo o que é preciso para se viver, principalmente aventuras.

  • TERRAS GELADAS;
  • MORADA DOS ANÕES;
  • FLORESTA ÉLFICA;
  • MAR DE AREIA;
  • TERRA DOS PESADELOS.

Para mais informações sobre essas regiões acessem o fórum rapsódia, através do link abaixo:

http://rapsodia.forumr.net/eminarod-f5/as-regioes-de-eminarod-t26.htm

A historia de Eminarod

Filed under: Eminarod — Tags:, , — Mestre Emilson @ 02:52

Um texto sobre a historia do continente de Eminarod foi colocado no fórum. Apresenta uma idéia geral de alguns aspectos do lugar.

[Uma prévia] COMO TUDO COMEÇOU

Realmente essa é uma questão que não é 100%. Sabe-se que há milhares de anos atrás, todo o continente era habitado por criaturas ferozes, pouco encontradas hoje em dia. Essas criaturas eram conhecidas como Dinossauros.

Das raças dominantes: os Anões foram os primeiros estrangeiros a chegarem. Depois vieram os Elfos. Formaram-se os Drows. Surgiram os Humanos. E por ultimo apareceram os Githzerais.

Cada povo trás a sua própria versão dos fatos que levaram Eminarod a ser o que é hoje. Os Anões falam que o continente foi erguido das profundezas do mar pela sua divindade principal. Os Elfos contam que o continente formou-se do corpo de um de seus desses mortos em uma batalha a muito acontecida. O Githzerais contam que tudo era um grande deserto, então venho às lágrimas de sua divindade, por causa da tristeza pelo sofrimento de seu povo, e criou os mares e Eminarod. Os Humanos e os Drows não têm opinião sobre isso, por que buscam ainda a razão maior do porque ele estarem ali.

No fórum ainda é possivel ler sobre:

  • LORDES ÉLFICOS
  • A CRIAÇÃO DOS DROWS
  • O POVO-LAGARTO
  • A CHEGADA DOS ANÕES
  • AS MONTANHAS DE ASHABA
  • A VIDA EM TAIUS
  • A MORTE EM TAIUS
  • O DESERTO DE SINVÁLEI
  • AS GUERRAS
  • CONFLITOS NAS FRONTEIRAS
  • OS GUERREIROS DA PAZ
  • FILHOS DOS VENTOS

Vale a pena conferir. Para mais detalhes acessem o link abaixo:

http://rapsodia.forumr.net/eminarod-f5/a-historia-de-eminarod-t25.htm

Rapsódia – Estratégia de Divulgação

O Projeto Rapsódia ganha um novo gás depois de cerca de 4 anos em andamento, como gostamos de falar somos lentos porém eficientes… rsrsrsrs. A idéia inicial era individual. hoje ela é coletiva. onde três caras querem tocar pra frente um cenário. Contudo a distância que nos separa é nosso maior algoz. Mesmo com msn e afins é complicado. A partir dessa dificuldade achamos uma solução bem eficaz. Abrimos contas em fóruns consolidados, divulgando o nosso material, para dessa forma, trazê-los para os nossos domínios: este blog e o fórum do projeto.

Com isso, gostaríamos da ajuda de pessoas mais experientes que nós. No sentido de agregar valores à nossas ideias.

Não somos experts em D20, que inicialmente é o sistema que utilizaremos, para a partir dele, convergir para outros, muito menos escritores. É nesse sentido que precisamos, muito, de ajuda.

E com isso expandimos a idéia de coletividade!!

Os domínios oficiais são:

Rapsódia: Anjos e Demônios – Blog;

Rapsódia: Anjos e Demônios – Fórum.

Enquanto que em outros domínios divulgamos o projeto:

Rapsódia: Anjos e Demônios – Fórum Rede RPG;

Rapsódia: Anjos e Demônios – Fórum Jambô.

Temos também o suporte de blogs parceiros:

RPG Sem Compromisso;

Zona Neutra.

Com essas iniciativas pretendemos, finalmente, prosseguir de uma forma cíclica e constante o cenários, resumindo… de lentos e eficientes à constantes e mais eficientes!! Owwwwww… hehehehe… as coisas melhorando!!

Existem ‘N’ formas de ajudar… sejam críticas, elogios, material de referência, correções, apoio.

Valew!! ^^~

Alex Pongitori

26/01/2009

SORÍNIA – O CONTINENTE FLUTUANTE

Nem me perguntem de onde esse texto apareceu, só sei que encontrei no meio dos aruivos de Rapsódia, em meu computador e resolvi postar para apreciação do público. Pra falar a verdade eu não li ainda…

Há muito tempo atrás, todas as coisas foram criadas, até que Zéphiro, Deus dos Ventos, resolveu criar um desafio à altura de todos os seres que viviam sobre a superfície de Rapsódia. Ele queria algo que fizesse transparecer seu eterno bom humor e a dificuldade em alcançar os Deuses. E num rápido toque de esplendor divino ele criou uma porção gigantesca de terra que cobriu quase toda a extensão da superfície flutuando a alguns poucos quilômetros de altura do nível da água. Sphinx, Deusa das Trevas, adorou a idéia de cobrir a superfície com sombras, porem logo encontrou-se desiludida quando Luche, Deus da Luz, criou um segundo astro-rei para fornecer iluminação e calor para as áreas cobertas por Zéphiro. Kalipdra, Deusa das Águas, garantiu que seu elemento nunca faltaria nas terras de Zéphiro e também que Ela não deixaria de banhar de, tempos em tempos, as terras da superfície. Lohann, Deus da Terra, com toda sua força, aplicou maior dificuldade ao desafio e cercou toda as Terras Flutuantes com montanhas intransponíveis por meios convencionais.

Nenhum vulcão, nenhum risco de possíveis tempestades. Seria um lugar perfeito para viver àquele que primeiramente as conquistasse. Uma terra tocada por todos os Deuses, com exceção de Azura, Deus do Fogo, que achava uma afronta enorme a simples idéia de mortais alcançarem os Deuses.

Ainda assim seria uma terra maravilhosa que proporcionariam ótimos dias para aqueles que a habitassem. Seria a terra sem guerras prometida a qualquer povo que procurasse paz…

PAZ…

Assim Zéphiro inventou uma palavra que significaria ”PAZ” entre todos aqueles que seguissem seus ensinamentos. “Sorínia”.

* * * (more…)

Chegada a Eminarod

Filed under: Eminarod — Tags:, , , , , , , , , , , , , — Mestre Emilson @ 03:03

Bem-vindos estranhos! Vocês estão para conhecer o maior e melhor continente de Rapsódia, com suas alegrias e tragédias. Saibam desde o início que este é um lugar de guerras e intrigas, e sendo assim, vocês precisão de um guia, para que não tenham problemas com autoridades locais ou vagabundos de rua.

Tudo é possível neste lugar. Qualquer coisa e qualquer tipo de pessoa podem ser encontrados aqui. Até mesmo humanos! Hoje vivemos em uma espécie de trégua momentânea, mas não se enganem: a qualquer momento os conflitos podem recomeçar. (more…)

24/01/2009

Roda da Vida – A Origem dos Deuses

Filed under: Panteão — Tags:, , , , , , , , , — Alex Pongitori @ 01:31

Existiam três grandes entidades supremas. Sua origem, nomes, desígnios e quaisquer outras coisas eram desconhecidos, até pelos próprios deuses, que ainda não existiam.

Não tinham ambições; não tinham desejos; não tinham perspectivas.

Em algum momento, que não é possível definir visto que o conceito de tempo também não existia, um deles desperta tomado de Consciência.

Imagina possibilidades; projeta planos; faz previsões.

E inicia um diálogo.

Explana sobre tudo o que sonhou, sobre tudo o que viu. Fala dos seus propósitos.

Um segundo desperta tomado pela Paixão.

Imaginando a nova realidade, excita-se com as possibilidades. Com as suas possibilidades.

Concluíram que nada existiria que não por sua vontade.

Descobriram também que eram diferentes. Queriam coisas distintas.

Iniciaram uma discussão.

Do caos liberado, um terceiro desperta. Tomado de Espírito.

Põe um fim a disputa, trazendo equilíbrio de volta.

Os Três retornam aos seus tronos.

Agora dotados de Consciência, Paixão e Espírito. separador

(more…)

31/07/2008

Apresentando – Projeto Rapsódia

Filed under: Projeto Rapsódia — Tags:, , , — Alex Pongitori @ 18:31
Rapsódia

Rapsódia

Inicialmente uma idéia minha, o Projeto Rapsódia costumava ser uma iniciativa, solitária, de escrever um mundo de fantasia fantástica para RPG. O projeto era algo pequeno que eu pretendia expandir, sozinho, aos poucos. Contudo, apresentei a idéia à dois amigos (Alexandre Nordestinus e Mestre Emilson) e eles acharam que tinha potencial. Logo fizemos algumas mudanças e definimos competências. Hoje o projeto está praticamente parado, apesar que eu continuo escrevendo ou revisando os textos esporádicamente. (more…)

« Newer Posts

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.