Rapsódia: Anjos e Demônios

26/01/2009

SORÍNIA – O CONTINENTE FLUTUANTE

Nem me perguntem de onde esse texto apareceu, só sei que encontrei no meio dos aruivos de Rapsódia, em meu computador e resolvi postar para apreciação do público. Pra falar a verdade eu não li ainda…

Há muito tempo atrás, todas as coisas foram criadas, até que Zéphiro, Deus dos Ventos, resolveu criar um desafio à altura de todos os seres que viviam sobre a superfície de Rapsódia. Ele queria algo que fizesse transparecer seu eterno bom humor e a dificuldade em alcançar os Deuses. E num rápido toque de esplendor divino ele criou uma porção gigantesca de terra que cobriu quase toda a extensão da superfície flutuando a alguns poucos quilômetros de altura do nível da água. Sphinx, Deusa das Trevas, adorou a idéia de cobrir a superfície com sombras, porem logo encontrou-se desiludida quando Luche, Deus da Luz, criou um segundo astro-rei para fornecer iluminação e calor para as áreas cobertas por Zéphiro. Kalipdra, Deusa das Águas, garantiu que seu elemento nunca faltaria nas terras de Zéphiro e também que Ela não deixaria de banhar de, tempos em tempos, as terras da superfície. Lohann, Deus da Terra, com toda sua força, aplicou maior dificuldade ao desafio e cercou toda as Terras Flutuantes com montanhas intransponíveis por meios convencionais.

Nenhum vulcão, nenhum risco de possíveis tempestades. Seria um lugar perfeito para viver àquele que primeiramente as conquistasse. Uma terra tocada por todos os Deuses, com exceção de Azura, Deus do Fogo, que achava uma afronta enorme a simples idéia de mortais alcançarem os Deuses.

Ainda assim seria uma terra maravilhosa que proporcionariam ótimos dias para aqueles que a habitassem. Seria a terra sem guerras prometida a qualquer povo que procurasse paz…

PAZ…

Assim Zéphiro inventou uma palavra que significaria ”PAZ” entre todos aqueles que seguissem seus ensinamentos. “Sorínia”.

* * *

O “DES”PRAZER DE ZÉPHIRO

Os tempos foram passando. Os dias e as noites cruzavam o tempo e Zéphiro não via interesse em nenhum dos povos. Sentia-se traído por seus Irmãos divinos por não incentivarem os “seus” a tentar alcançá-los e desfez todas as maravilhas mágicas que havia no local. Depois propôs a Seus Irmãos que criassem uma ultima forma de vida.

Por tempos imaginou uma criatura com energia divina o bastante para ser superior a tudo que fosse material, a todas as formas de vida e criou Wether, Arcanjo do Tempo. O mostrou a seus irmãos e eles, não querendo mudar o humor de Zéphiro e também por gostarem da idéia, criaram seus Arcanjos.

Luche, criou Acteon, Arcanjo do Sol e do Dia; Lohann criou Lennora, da Natureza; kalipdra criou Sálix, da Paz; Azura criou Ishtar, da Coragem; e Sphinx criou alled, da Lua e da Noite.

Depois Zéphiro ofereceu Sorínia para que servisse de morada para a ultima criação divina. Assim o continente passou a ser a Morada dos Arcanjos.

* * *

O tempo passou e os povos da superfície continuaram a ignorar Sorínia. Porem os Senhores das Profundezas organizaram ataques ao continente e durante vários anos,sem que os mortais soubessem, uma guerra terrível foi travada entre os Seres Celestiais e os Seres Abissais.

Sem obter resultados para conquistar Sorínia, os Ilídios, os Tana’rí e os Batezu recuaram frente aos Arcanjos. Estes por sua vez passaram a temer um outro ataque dos seres Abissais e depois da recuo para os Planos Inferiores, os seres Celestiais também deixaram Sorínia e pediram aos seus Patronos uma parte dos Planos dos Deuses. Os Criadores, cientes dos riscos no Plano Material, aceitaram o pedido e criaram um sub-plano, ainda nas Terras Divinas. E lá, os arcanjos passaram a habitar, indo de tempos em tempos visitar Sua antiga morada.

* * *

A ASCENSÃO DOS HUMANOS

Depois de muito sofrimento na superfície um gnomo, chamado kymdoenaylortatekirk, ajudou os humanos a construir um navio que pudesse navegar no ar usando algumas técnicas arcanas. Pesquisou durante cerca de dois anos até que a idéia de usar a mesma tecnologia dos golens de ferro o fez terminar a nave, que receberia o nome de Nave Naylor, em homenagem ao gnomo inventor.

Varias naves foram construídas até que houvesse um numero suficiente para que todos os componentes da imensa caravana pudessem ir juntos sob a liderança de Havyan Prymol.

Logo que chegaram ao novo continente, Havyan Prymol nomeou quatro humanos para que reconhecessem o terreno onde agora viveriam. Esses quatro eram: Beld Lekardan, Sanz Ivorash, Petrônio Gauss e Silf Donadel. Eles escolheram 10 carroças para segui-los. E assim, da caravana gigante que partiu de Eminarod, quatro pequenas comitivas partiram do acampamento ainda sob o comando de Havyan, em busca de novas paragens.

* * *

CASA DE NAYLOR

Este castelo foi erguido pela terceira geração dos Havyan. Ele serve como estadia para qualquer nobre de Prymol em tempos de boas pescas.

Todos os nobres podem ficar no castelo durante dez dias por ano para que possa fazer pescarias e levar o pescado até sua casa. Sempre que um nobre sai do castelo, todos os bens materiais pertencentes à Casa de Naylor são conferidos. No caso de algo não estar correspondendo ao que havia antes da chegada do nobre, ele perde o direito de participar da pesca no ano seguinte.

O castelo foi nomeado em homenagem ao gnomo que inventou as naves Naylor, que tambem foi o autor da ideia para que todos pudessem ter direito disponível.

Depois da saida do nobre, cinco representantes dele continuam no castelo para a conferência dos bens e para os dez dias que antecedem a chegada do próximo nobre.

Boatos afirmam que os moradores do castelo vêm, há muito tempo, controlando quais nobres vêm no ano seguinte ou não. Fala-se de uuma enorme caverna abaixo do castelo onde os moradores escondem alguns objetos durante a pesca dos nobres que não colaborem com uma quantia em ouro quando chegam para o inicio da pescaria.

A atual regente, Lilly de Chaniz, garante que não há corrupção no sistema de controle. Afirma que “tudo está do jeito que deveria estar”. E nenhum nobre pretende dizer o contrario, agora que ela ficou viúva a pouco tempo. Seu esposo, Conde Altran Chaniz, morreu por causa desconhecida de todos, exceto a Condessa e os moradores do castelo

Segundo as leis de Sorínia uma mulher que perde o esposo tem um prazo de cinco anos para casar-se novamente ou perderá todos os títulos e quaisquer facilidades concedidas por todo e qualquer nobre. E isso têm atiçado os planos de muitos nobres que têm filhos na idade de casar-se, pois assim o jovem herdaria todos os beneficios da Condessa Lilly.

* * *

CASA DOS CAÇADORES

Há trezentos anos, durante a Guerra das Máquinas, Théod Fort sugeriu aos regentes de Ivorash e Lekardan que construissem uma fortaleza num ponto estrategico para proteger as duas cidades no caso de Goltrauss perdesse a guerra e os invasores tomassem tambem a capital.

Rapidamente o castelo começou a ser erguido, porem, antes do final da construção Ryangauss recuou indicando o final da guerra. Os regentes decidiram entao não parar a construção e, como tinha uma posição privilegiada, fariam com que os outros regentes os visitassem com frequencia, como um polo de caça.

E assim surgiu o nome do castelo seguindo o modelo da Casa de Naylor, e foi batizado como a Casa dos Caçadores.

Neste castelo vários filhos de nobres aprendem a caçar varios tipos de animais e a usar algumas armas de longa distancia.

Devido à situação nos rios Vorlat e Billit, as duas estradas que levam a Lekardan são as unicas vias de acesso convencionais à cidade. Uma outra opção é tentar passar pela floresta que fica envolta ao castelo, porem os aventureiros que tentarem poderão ser alvos de uma feroz caçada. Dificilmente os filhos dos nobres farão uma caçada, mas sim um grupo especializado na caça de quaisquer pessoas não autorizadas no local.

* * *

A PRISÃO DE ISHTAR

Em todos os lugares de Prymol há aqueles que não cumprem as leis, aqueles que a desobedecem. Todos eles são considerados covardes pois aqueles que são corajosos e honrados não precisam burlar ou desobedecer as leis. E quem melhor para punir os merecedores que os seguidores do Deus do Fogo através de Ishtar, Arcanjo da Coragem?

Atraves deste pensamento, Panir Havyanordenou que todos os merecedores de punição fossem levados para a Vila de Vatsa. Quando o povo da vila não mais suportava o alto indice de criminalidade, Panir ergueu um castelo para que servisse como prisão. Destacou varios soldados para lá e convidou Leela Poelma, Clériga de Azura, para que comandasse os homens da guarda.

Até os dias de hoje nunca houve uma fuga bem sucedida na Prisão de Ishtar, porem dentro da prisao funciona uma sociedade totelmente diferente do restante do reino. O atual responsável pela prisão é Postúlio Shaktar, tambem clérigo de Azura, e uma guilda de presidiarios responde pelos problemas com os detentos. Postúlio sabe de outras atividades não tão dentro da lei, mas ele não imagina nem mesmo o começo do alcance dos detentos…

* * *

CLIMA E TERRENO

Em Sorínia as florestas são abundantes e são tambem a maior fonte de alimentos dos sorinianos. Existem poucas extensoes de terra não cobertas por florestas. As arvores são maiores que o normalmente visto em Cith, porem não tao gigantescas como as de Eminarod.

A criação de cotros* é muita beneficiada, pois o alimento de que eles necessitam existe gratuitamente e em forma abundante em Sorínia, o Bavo**. Com exceção das terras onde os regentes ergueram castelos para fins diversos, das cidades e vilas mais conhecidas dos rios e da Montanha do Labirinto, todo o restante da superficie de Sorínia é coberta por floresta.

A chuva e o sol comportam-se normalmente

Esse texto é antigo, do incio dos trabaçlho com o sistema… Muita coisa pode ter mudado (acho que uma dessas csoias foi o nome). Em breve vocês verão como realmente está o cenário.

Anúncios

19 Comentários »

  1. Bem, o texto é meu. E vai ter que sofrer algumas alterações. De início a primeira coisa que sei que vai mudar, é que Sphinx agora é a deusa das sombras e não mais das trevas.

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 26/01/2009 @ 08:03

  2. Concordo… mas eu não conhecia esse texto. OO~

    Comassim!? Algumas coisas PRECISAM serem mudadas, outras DEVEM ser mudadas, outras… VÂO TER QUE FICAR pq tá muito legal!! Hehehehe…

    Alexandre escondendo o ouro heim!?

    Comentário por Alex Pongitori — 26/01/2009 @ 18:46

  3. Pelo que pude entender lá no fórum(http://rapsodia.forumr.net/sorinia-f6/o-continente-flutuante-t11.htm), ele naum tava escondendo Alex. Ele achava que o texto havia se perdido. Mas estamos aqui para guardar e depois apresentar.

    Como Denilson, jogador de futebol, disse uma vez na televisão: F-O-I(soletrando), FUI!!!

    Comentário por Mestre Emilson — 27/01/2009 @ 01:31

  4. Exatamente o que eu disse Alex. Algumas coisas vão ser mudadas sim.
    E não estou escondendo nada não rapaz. Esse texto tiha sido enviado para você na mesma ocasião em que foi enviado para o Emilson. E ele tá certo. Pensei que tínhamos perdido ele.

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 27/01/2009 @ 07:24

  5. Só um aviso: Só vou postar mais alguma coisa quando o Alex ou o Alexandre postarem alguma coisa.

    Naum vou ficar postando sozinho…

    Comentário por Mestre Emilson — 27/01/2009 @ 22:49

  6. Postar???
    Onde???
    Se for aqui eu não posso…
    E lá no fórum, estou esperando para a gente conversar sobre o que foi combinado. Falaremos primeiro em Eminarod, suas raças e todo o competente a esse continente. Mas tá ruim de a gente se encontrar pra covnersar [pessoalmente ou via net]…

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 27/01/2009 @ 23:00

  7. Tá nada Alexandre… daqui a poco tô de volta pro Acaraú… hehehehehe… :P~

    Comentário por Alex Pongitori — 27/01/2009 @ 23:06

  8. Opa… Bom saber…
    Só uma dúvida. VocÊs dois receberam meu e-mail, sobre o Gtalk? Se receberam, por que ninguém respondeu?

    Até…

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 27/01/2009 @ 23:15

  9. Foi mal Alexandre. Pensei que o Alex tinha te mandado um convite para pode postar no blog. Vamos esperar e ver se ele muda isso.

    Até!

    Comentário por Mestre Emilson — 28/01/2009 @ 00:00

  10. Mais uma dúvida. Nós vamos utilizar o blog do Alex ou o fórum pra postar as coisas sobre o cenário?

    [ninguém me respondeu mesmo o e-mail???]

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 28/01/2009 @ 00:09

  11. Nós usaremos TUDO!!

    UEHUAHSUHEHUAHUHUHEUHUAHUHSES…

    WordPress…
    Fórum…
    Rederpg…
    Jambô…
    Spell Brasil…

    8D~

    P.S. Mandei o convite pra ti já… ^^’

    Comentário por Alex Pongitori — 28/01/2009 @ 00:18

  12. Beleza. Quando vamos começar a conversar sobre o cenário???

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 28/01/2009 @ 00:30

  13. Ja estamos conversando.

    Quanto aos anoes estou pensando em inovar. Terão os subterraneos e os naum subterraneos que serao a maioria… porem, os mais importantes seráo os que estao em baixo da terra, mesmo sendo minoria (ou naum)… Mais detalhes no forum…

    Comentário por Mestre Emilson — 28/01/2009 @ 00:44

  14. Todas as nossas decisões serão conversadas nos tópicos do fórum e aqui nos posts do blog???

    Não fica meio estranho???
    Achei que íamos conversar só nós 3 e depois postar nossas idéias para o apreciamento de terceiros…

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 28/01/2009 @ 00:47

  15. Não podemos conversar, por exemplo, pelo Gmail, para conversarmos todos juntos???

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 28/01/2009 @ 00:49

  16. É assim Alexandre… logo logo eu tô chegando… pra ficar alguns dias pelo menos. Então nós CONVERSAREMOS tudo que tiver que ser conversado. DECIDIREMOS tudo que tiver decidido. DEFINIREMOS COMPETÊNCIAS de acordo com nossas necessidades. Por enquanto tá complicado. E se quiser pode ir postando quaisquer coisas que vc tiver. Tudo pode ser facilmente editado de qualquer forma.

    Comentário por Alex Pongitori — 28/01/2009 @ 01:16

  17. O que eu tiver???

    O que eu tinha era esse texto que o Emilson postou aqui. E como a gente combinou que falaríamos primeiro em Eminarod, não me dei ao trabalho de pensar em nada.

    Comentário por Alexandre Nordestinus — 28/01/2009 @ 01:19

  18. Eu tô no GMail… uehuahhsuehuhahsueas… faz o favor de usar aquela budega lá que tu quase me OBRIGOU a fazer!! Obrigado!! ¬¬’
    E s efor pra conversar por aqui vamos pelo menos pro post novo… uehuahusheuhuahseas… esse auqi já tem 18 comentários!! =D~

    Comentário por Alex Pongitori — 28/01/2009 @ 01:20

  19. por enquanto alexandre é o que temos.

    mesmo quado o alex estiver aki naum podemos perde esse costume, pois pode haver um dia em que ele vá e demore para voltar. por isso vamos nos virando e vendo como da pra fazer.

    mesmo atraves de msn ou similar naum da pra conversar tanta coisa assim, pois é dificil se fazer entender por textosm, tento que escrever rapido. nos foruns e comentarios existe mais tempo para pensar no q escrever…

    Minha opinião.

    Comentário por Mestre Emilson — 28/01/2009 @ 01:51


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: